Boletim CH#23 ☘️ Ainda minoria na indústria canábica, mulheres reivindicam maior papel de liderança

Número de mulheres ocupando cargos executivos no setor em 2021 caiu para abaixo da média de mulheres executivas em outros setores nos EUA

Bom dia, meus amigos!

Tudo bem por aí? Por aqui, tudo lindo. Muito embora os planos de dar um pulinho no Brasil neste verão tenham ido por água abaixo com os preços exorbitantes das passagens.

Parece que as companhias aéreas tão afim de recuperar o prejuízo desses quase dois anos de pandemia e tão metendo a faca. A última esperança era a tal da black fraude, mas não rolou.

E aquela esticadinha na Argentina, onde tenho muita gente linda para conhecer, e no Uruguai, passagem obrigatória para ver de perto iniciativas canábicas, acontecerá só daqui a uns meses, coisa que muito me chateia. 

Saudade de Brasil, saudade de América Latina, saudade do nosso calor.

Enquanto isso, vou buscando esse calor nas conversas com os atores fundamentais da cannabis no nosso país. Conversas que geram artigos como esse, publicado hoje no Poder360, discutindo o papel das mulheres na indústria canábica, que em seu início atraía executivas para cargos de liderança, mulheres que migravam de setor para crescer na carreira em uma indústria que prometia corregir erros do passado e criar uma nova maneira de incluir minorias. 

Mas algo aconteceu no meio do caminho, e esse número vem sofrendo quedas acentuadas, o que aponta para um risco real de a cannabis se tornar apenas mais uma indústria dominada por homens. Para esse texto, conversei com mulheres que são resistência e referência em cannabis no Brasil e acho que você vai gostar de ler ;)


☘️ Anvisa libera aprovação automática

>>> Abrindo os trabalhos com uma notícia bem boa para os brasileiros. A Anvisa, que tem tomado medidas para facilitar e agilizar a importação de produtos à base de cannabis, automatizou as aprovações do cadastro de novos pacientes em seu site. Em vez de esperar por dias até que a autorização fosse concedida, o paciente que vive no Brasil, ganhará um bom tempo no processo de importação, já que a partir de agora as autorizações saem no momento do cadastro. Antes, o prazo médio de espera era de um mês. A fiscalização nas fronteiras continua normalmente, por isso é fundamental que na receita contenha nome do paciente, nome do produto importado, especificando quantidade e posologia, além, é claro, da assinatura do médico junto com seu número de registro. Se algum dia você pensou em usar cannabis medicinal mas tinha preguiça de todo o processo, agora ficou facinho, anime-se.


☘️ Microdosagem relacionada à baixa ansiedade e depressão

>>> De executivos de tecnologia do Vale do Silício que procuram melhorar o desempenho no trabalho ou em criatividade, a gente comum que espera melhorar sua saúde mental, o acréscimo de uma microdose de psicodélicos à rotina está cada vez mais popular. Digo por experiência própria: muitas pessoas têm dito que a microdoagem melhorou suas vidas. Mas até agora faltavam dados científicos que apoiassem afirmações subjetivas. Mas, semana passada a coisa mudou de figura. Foi publicado na Nature um relatório cujo título fala por si: Adultos que usam microdoses psicodélicas relatam motivações relacionadas à saúde e níveis mais baixos de ansiedade e depressão em comparação com os não microdosadores. O estudo teve um tamanho de amostra enorme, o maior entre estudos do mesmo tipo, tendo a psilocibina como a substância de microdose mais comumente usada na amostra (85%), ao redor da qual foram identificadas diversas práticas relação à dosagem. E foi dirigido por um grupo de cientistas e acadêmicos respeitados, incluindo o próprio Mushroom Man, Paul Stamets - aquele, do Fantastic Funghi.


☘️ Novo estudo afirma que usar cannabis durante a gravidez gera crianças agitadas e ansiosas

>>> A polêmica do uso de cannabis durante a gravidez volta à pauta com o estudo Stress in Pregnancy, que começou em 2009 para examinar como o estresse durante a gravidez afeta o crescimento e o desenvolvimento fetal. Mais de 320 mulheres grávidas foram convidadas a se inscrever no estudo durante o segundo trimestre de gestação, e a participar com seus filhos em relatórios de acompanhamento até quatro anos após o nascimento, 71 delas relataram usar cannabis durante a gravidez. Nesse grupo, os pesquisadores relacionaram o hábito a níveis de estresse, ansiedade, agressão e hiperatividade em crianças pequenas. O estudo também identificou mudanças genéticas nas placentas de usuárias de cannabis grávidas que se correlacionaram diretamente com o aumento da ansiedade e do estresse em seus filhos. Já falamos por aqui, porém, de outros estudos que relacionam a cannabis com uma gravidez mais tranquila e com menos enjoos. Portanto, não nos apressemos em tirar conclusões, seguiremos atentos a estudos futuros que tragam mais informações sobre o tema.


☘️ Cansado de ser banido nas redes sociais? Vem aí uma rede social exclusiva para assuntos canábicos

>>> Cannatech é um setor quente. Mas, embora tenha havido várias tentativas de criar uma rede social com temas 420, nenhuma, até onde sei, teve sucesso. Mas se alguém tem os recursos e a influência para realizar tal empreendimento, esse alguém é o rapper e empresário em cannabis, Berner, e a empresa de tecnologia em cannabis de capital aberto Weedmaps, que estão planejando lançar uma plataforma de mídia social, que disseram, será o “Instagram da Maconha”. Weedmaps e Berner disseram que os aplicativos de mídia social de propriedade da Meta, Facebook e Instagram, excluíram contas relacionadas à cannabis por violações de políticas, e que por isso uma rede legalize é mais do que necessária para dar voz aos milhares de negócios e milhões de pessoas interessadas no assunto em todo o mundo. “Ambas as redes sociais veem a maconha como uma droga”, disse o comunicado de imprensa, “e muitos negócios de cannabis perderam contas e seguidores valiosos por causa dessa repressão”. Estamos particularmente ansiosos para ver o que essa ideia vai se desenvolver nos próximos meses.


☘️ Uber abraça a cannabis

>>> Os consumidores de cannabis em Ontário, no Canadá, poderão fazer pedidos de maconha por meio do Uber Eats, anunciou a empresa há alguns dias. Os clientes poderão fazer pedidos em uma seção dedicada do aplicativo para o varejista de cannabis Tokyo Smoke, que é propriedade da Canopy Growth e, em seguida, retirá-los em uma loja próxima, já que segundo a lei canadense, embora o uso de maconha seja legal desde 2018, ainda é ilegal distribuí-la. Para usar o serviço, os usuários do Uber Eats terão primeiro que verificar sua idade no aplicativo. Outros gigantes da tecnologia, como Facebook e Google, evitaram apoiar as vendas de cannabis, mesmo no Canadá, onde a erva está regulamentada. Mas o CEO do Uber, Dara Khosrowshahi, já havia manifestado interesse no espaço e continuará buscando oportunidades à medida que as regulamentações evoluírem. 


☘️ Tão querendo complicar a vida dos cultivadores de cannabis? Califórnia aumenta imposto pela segunda vez

>>> Pela segunda vez desde que a Califórnia lançou seu mercado legal de cannabis em 2018, os reguladores vão aumentar os impostos sobre a maconha em todo o Estado. De acordo com um comunicado do Departamento de Administração de Impostos e Taxas da Califórnia (CDTFA), todos os três tipos de impostos sobre o cultivo de cannabis aumentarão a partir de 1º de janeiro de 2022. Os impostos em questão são todos pagos pelos cultivadores da erva, que desconfiam que o aumento de impostos seja uma maneira de jogar água nos planos da indústria, que apesar de regulada, enfrenta desafios sobretudo econômicos. O aumento anterior da taxa ocorreu em 2020, quando a taxa de aumento no atacado foi elevada de 60% para 80%. Muitas reuniões e negociações entre representantes da indústria e legisladores estaduais foram feitas no sentido de pleitear uma redução de impostos, que é prioridade para o setor nos EUA, mas no fim não deram em nada. 


☘️ Contrariando previsões, não houve aumento de acidentes de trânsito no Canadá após a legalização

>>> Em um novo estudo publicado na Drug and Alcohol Dependence, uma revista científica de renome internacional, descobriu que a legalização da cannabis no Canadá não está associada a aumentos nos acidentes de trânsito. Esvaziando a argumentação dos críticos da cannabis, que previam  um tipo de “epidemia de motorista chapado” após a regulamentação da erva. O projeto revisou todos os dados dos departamentos de emergência de Ontário e Alberta, as únicas duas províncias canadenses que registram todas as visitas de emergência que ocorrem na população em geral, de 1º de abril de 2015 a 31 de dezembro de 2019. A equipe descobriu que, imediatamente após a legalização da cannabis, não havia evidências de mudanças significativas nas visitas ao departamento de emergência de acidentes de trânsito entre todos os motoristas ou jovens condutores, afirmaram os pesquisadores. 


☘️ Órgão quer verificar qualidade dos produtos de CBD

>>> Um mercado regulado não garante a qualidade da oferta disponível nas prateleiras. Produtos à base de cannabis ainda carecem de padrões de teste e protocolos de rotulagem nos EUA e é por isso que o National Industrial Hemp Council of America se comprometeu em estabelecer padrões de teste e rotulagem para o CBD. A organização anunciou na semana passada que está trabalhando com parceiros da indústria para lançar um programa piloto cujos participantes poderão rotular seus produtos com o selo de aprovação do NIHC com o objetivo de fortalecer a confiança dos consumidores em suas marcas. A organização está em negociações com empresas de teste, laboratórios e verificadores terceirizados para desenvolver um programa que testará a potência e o perfil de segurança de todos os canabinóides, uma iniciativa que deve valorizar o mercado e tranquilizar o consumidor com informações confiáveis ​​e transparentes sobre os produtos CBD.


☘️ NY proíbe publicidade de cannabis em ônibus e metrô

>>> Toda a publicidade relacionada à cannabis é explicitamente proibida de acordo com as diretrizes recém-lançadas da New York Metropolitan Transportation Authority (MTA). É a primeira vez que a agência inclui a proibição da publicidade de cannabis em seus regulamentos, já que o Estado só aprovou seu projeto de legalização em abril. A proposta foi incluída em um resumo da reunião do conselho do MTA há poucos dias, com diretrizes que também incluem a proibição de cogumelos mágicos ou produtos alucinógenos. A posse e o uso de psilocibina continuam sendo um crime em Nova York; entretanto, na vizinha Nova Jersey, o governador Phil Murphy assinou um projeto de lei em fevereiro reduzindo as penalidades pelo porte de cogumelos psilocibinos. As reformas não legalizaram o uso adulto ou terapêutico desses produtos no Estado. Ainda, já que em março deste ano foi apresentado um projeto de lei para descriminalizar os cogumelos psicodélicos em Nova York, que permanece à espera de votação no Comitê de Saúde da Câmara.


☘️ Famosa empresa norte-americana de suplementos à base de plantas aposta em cannabis e psicodélicos

>>> Tratamentos com cannabis e psicodélicos estão se tornando tão populares nos EUA, que empresas super conhecidas, como a Irwin Naturals, que existe há quase 30 anos e tem capital aberto na bolsa, está entrando nessas indústrias. De acordo com o executivo da marca, uma série de novas evidências clínicas mostra que os psicodélicos são "talvez a única solução profunda" para problemas de saúde mental. Nesse nicho, “a quetamina é o único oásis legal”, já que a substância pode ser prescrita por médicos nos EUA. A empresa abrirá uma rede nacional de clínicas de quetamina com a intenção de colocar tratamento de baixo custo a uma hora de carro de pessoas que moram em todos os principais centros urbanos do país. As inaugurações devem acontecer a partir do primeiro trimestre de 2022 na Califórnia, Iowa, Kentucky e Carolina do Norte, com um ritmo acentuado de novas inaugurações ao longo do próximo ano. Sinto cheiro de tendência, e vocês?

☘️☘️☘️

Vamos ficando por aqui, mas não sem antes te falar uma coisa séria, vem cá. Você já conhece o blog do Marcelo Leite com discussões e novidades imperdíveis no mundo dos psicodélicos? Recomendadíssimo o último artigo, e todos os demais ;) 

As festas de fim de ano estão chegando, e você eventualmente vai se deparar com discussões a respeito da cannabis na mesa de jantar com a família. Leafly publicou uma série de oportunas questões que vai te preparar para essa conversinha potencialmente polêmica. 

E aqui, os cinco melhores guias de cultivo de cannabis disponíveis online.


Curtiu? Achou que faltou alguma coisa? Quer se comunicar com a gente? Venha! cannabishoje@gmail.com

Se puder, aperta o coraçãozinho e compartilha a newsletter com as amizades.

Aproveita e segue @cannabishoje no instagram, assim a nossa comunidade só fará crescer \o/ 

Share Cannabis Hoje

Loading more posts…